Esse post é focado em quem ainda não começou a fazer a própria horta. Mas existe grande chance de quem já está na labuta se identificar – e muito – com isso.

Não importa a sua empolgação, as suas pesquisas, as dicas recebidas… você será tomado por grandes momentos de frustrações.

Plantar exige perseverança, pois é baseado em tentativas. O que pode ser bom para um, pode ser o desastre para outros. Depende do solo, da umidade, do sol, da qualidade semente ou muda, vulnerabilidade a pragas, humor dos seus bichinhos de estimação e, obviamente da proteção a intempéries. São muitos fatores que não tem como se dar uma receita pronta. Aliás, talvez tenha sim.. e a receita é simples: arregace as mangas e tente.

Se você está mexendo na horta para aprender, sempre terá sucesso.

Existem regras básicas que auxiliam, mas não existe regra básica para que seu gato não enxergue um saco de pancada em potencial na sua mudinha recém plantada, ou para que a ventania da noite anterior não derrube algo em cima da outra muda que o gato não viu, ou que o vizinho não enxergue a beleza de sua muda de árvore no auge dos seus 80 cm e a quebre dando a ré com o carro, ou para o pintor que lava baldes de tinta em cima da horta orgânica e cria uma piscina laranja. E outros quatrocentos-e-vinte-e-seis exemplos que eu poderia comentar só de minha experiência.

O que eu tenho a dizer é: Não desanime! Só esteja preparado para que não saia como planejado, pois aí será somente uma etapa aprendida. Entenda que você, provavelmente, não nasceu com mãos mágicas e muitas sementes nem ameaçarão brotar. E quando brotarem, lembre-se que tudo o que começa, acaba e, pode ser antes de dar os frutos.

Coisas ruins acontecem e acontecerão todos os dias, mas sempre passa. E talvez você aprenda algo novo com isso.

Mesmo com muitas ocorrências dessas, é impagável a sensação de colher um tomate vermelhinho, colher hortelã novinho para o chimarrão (ou chá para os menos gaúchos), se surpreender com o tamanho que uma abóbora orgânica pode ter, curar uma planta de alguma infestação de pragas…

Errar pode ser divertido e, no mínimo tem que ser instrutivo.

E você? Teve alguma experiência desastrosa e aprendeu algo sobre isso? Nos conte nos comentários abaixo!