Essa semana que passou estive em Nevada, nos Estados Unidos. Um estado marcado por seu clima desértico, muito seco, pouquíssima chuva e solo pouco fértil.

Ter uma horta produtiva em ambiente desértico parece algo difícil, mas existem maneiras de contornar as dificuldades e saber tirar proveito do inevitável. E, pesquisando sobre isso, encontro o Bloomin’ Desert Herb em Henderson, uma cidade vizinha de Las Vegas.

Não pude deixar de visitá-los em um Farmers Market (feira com diversas banquinhas de frutas, vegetais, comidas, produtos caseiros, etc) em que eles possuem uma banquinha vendendo seus chás, temperos e sais orgânicos.

farmersmarket

Muitos temperos, chás, sais… tudo orgânico!

Como fiquei empolgada em descobrir os milagres deles, pedi para visitar a propriedade em que eles produzem tudo isso, e me receberam de braços abertos.  É na própria casa que Rosalind e Randy plantam e produzem tudo isso.

Rosalind-Randy

É um casal extremamente simpático que há mais de 18 anos iniciou sua horta urbana, e hoje eles tem certificações de seus produtos orgânicos e vendem temperos e chás em diferentes feiras de Las Vegas.

Como Henderson é uma cidade tranquila, não tem problema em deixar o carro na rua, então eles aproveitam o espaço em frente à própria garagem para plantar.

frente-garagem

E por lá, pelo visto as pessoas respeitam tudo o que você tem plantado na sua casa. Não precisa de cerca para delimitar ou segurar os espertinhos, como neste canteiro que dá direto na calçada da rua, repleto de chás e tempeiros.

canteiro-frente

E veja o tamanho dessa salsinha:

salsinha

alecrimOutra coisa que se dá muito bem em climas mais secos é o alecrim. Eles possuem 3 robustos pés que só de mexer levemente já levanta um aroma delicioso. E, nos poucos dias de chuva, aromatiza a casa inteira.

 Não fui tão sortuda em pegar os pés de manjericões altos… Esses da foto abaixo foram recém plantados, mas confira algumas fotos no Facebook deles para ver como podem ficar lindos.

manjericaoMais alecrim e, ao fundo, barril para compostagem. Como a alimentação do casal é estritamente vegetal (ambos são veganos), a composteira acaba sendo sempre bem usada, com ótimos resultados para as plantas. E, por seguirem este preceito, toda a horta deles também é vegana, não utilizando alguns clássicos materiais de origem animal que muita gente usa, desde o esterco, até farinhas de osso ou sangue.

alecrim-compostagem

Um dos grandes responsáveis pela linda horta deles, além da dedicação, é um fertilizante de alfafa que eles mesmos produzem. Simplesmente diluem alfafa (uns 5 a 6 punhados para esse grande balde) em água no balde da foto abaixo e deixam descansar por uns 2 dias dias. E então regam/nutrem as plantas com essa solução e preenchem novamente com água. Fazem esse processo umas 3 vezes e aí o restante incorporam à terra da horta.

alfafa-fertilizante

steviaAlgumas das coisas produzidas por eles: Essa doce maravilha ao lado (stevia), vários tipos de mentas e hortelãs, vários tipos de sálvia, pimentas, manjericão, manjerona, tomilho, limão verbena, alho, orégano, aloe vera, capim limão, endro, algumas flores comestíveis (como capuchinha, rosas e outras).  São várias outras coisas que, faltou memória para gravar tudo. ;)

Plantar no deserto é difícil, mas existe uma grande vantagem ao se plantar lá, que é a pouca existência de pragas. Praticamente só tem alguns tipos de pulgões e eventuais larvas no tomate. Controle manual já resolve.

Além disso, Rosalind ainda produz deliciosas guloseimas veganas, sem glúten e saudáveis. Ela nos ofereceu um bolinho tão maravilhosamente delicioso que me arrependi amargamente de estar indo embora no outro dia. Queria ficar lá para sempre para comer todos os dias.

As principais coisas que levei dessa visita, além do grande carinho deles, foi que não devemos nos desanimar caso tenhamos algumas dificuldades ao fazer uma horta. Tente explorar o lado bom e controle o lado ruim. No caso deles, o solo extremamente infértil foi sendo corrigido com compostagem e fertilizantes naturais. E a ausência de pragas é um motivo de compensação.

buda