Dicas para armazenar temperos e chás

Eventualmente a horta nos dá mais do que conseguimos usufruir. Mesmo doando para outras pessoas, algumas plantas, como chás e temperos, podem ser tão produtivos que, se você não tiver um restaurante, talvez fique com moitas gigantes implorando para serem colhidas. E, muitas vezes, essa alta produtividade pode ser temporária, seja devido ao clima ou ao ciclo de vida da planta. E, mesmo que você não tenha abundância em algum tempero, atire a primeira pedra quem nunca comprou um ramo de tempero verde na feira e acabou deixando estragar metade dele.

Conheça algumas formas de você armazenar temperos e chás por mais tempo:

Deixar em um copo com água

Imagem: arquivo pessoal

Imagem: arquivo pessoal

Essa é uma dica para curto prazo, mas acaba sendo valiosa para algumas pessoas. Ramos de algumas plantas como manjericão, hortelã, orégano, cebolinha, entre outros, podem durar por vários dias se você deixar um pedaço do caule em um copo com água.

 

Congelar – in natura

Lave bem as ervas e as deixe secar. Se for um tempero que você utiliza somente as folhas e são pequenas (como orégano, alecrim ou tomilho) separe as folhas do talo. Para salsinha e coentro deixe os talos, nesse caso, corte grosseiramente antes de ensacar. Coloque em saquinhos, tentando tirar o máximo de ar possível. Lacre e congele para usar ao longo do ano. Veja como faço com a cebolinha nas fotos abaixo. Após lavá-las, deixo-as secar sobre um pano por um tempo (ou dependendo da minha pressa seco elas ao comprimento), corto no tamanho que desejo usar e congelo. Quanto menos água, mais fácil de usar depois.

Congelar – com azeite de oliva

Você pode tanto fazer com cada um dos temperos ou já fazer um mix de sua preferência. Forminhas de gelo tem o tamanho ideal. Basta picar bem os temperinhos, adicionar azeite de oliva e colocar no freezer ou congelador. Em algumas horas os cubinhos estarão sólidos e você pode remover da forma, colocando em um saquinho ou pote plástico fechado. Perfeito para adicionar em sopas, molhos ou refogados. Para manjericão você também pode fazer um pesto (bater manjericão, azeite, sal e pimenta preta) e congelar nos cubinhos de gelo. É aquele tipo de tempero que conserta qualquer comida!

Congelar – com água

Processo semelhante ao com azeite de oliva. Mas após dar a primeira congelada na forma de gelo, adicionar um pouco mais de água para esconder as pontinhas do tempero que ficam boiando para fora da água. Assim vai evitar que essas pontas fiquem queimadas do gelo caso se armazene por muitos dias. Esse eu só fiz com hortelã e amei o resultado. Só de usar como gelo normal em um copo da água já fica delicioso no verão, dando um leve aroma. Bater no liquidificador junto com algumas frutas fica melhor ainda. Todos os tipos de hortelã e poejo ficam deliciosos.

Já para temperos, dizem que dessa forma não fica tão saboroso quanto com óleo, mas vale a pena para quem estiver em algumas dietas restritivas.

Desidratar naturalmente

Imagem: arquivo pessoal

Imagem: arquivo pessoal

Esse método é bom para a maioria dos temperos e chás. Em dias com baixa umidade do ar (se você não tiver uma boa percepção corporal, digite o nome de sua cidade junto com a palavra “tempo” no google que ele te informa), é muito fácil desidratar. Você pode selecionar tanto ramos das plantas  que quer secar ou mesmo folhas individuais. Lave-as e tente escorrer o máximo possível da água. Se em ramos, pode-se pendurá-los de cabeça para baixo em algum local arejado e sombreado, como na foto ao lado.Você ainda pode amarrar papel toalhas ao redor para diminuir uma possível poeira (ok, perde a beleza). Em algumas semanas estarão prontos para remover dos ramos e guardar. Se em folhas, espalhe-as sobre um pano inicialmente para secar inicialmente. Após secarem a olho nu, coloque entre papel toalha, dobrando levemente e mantenha em local arejado. Se nenhuma folha estiver sobre a outra, mais rápido e eficiente é o processo, que deve levar alguns dias.

Desidratar com desidratador

Esse é o método que eu mais faço. Tenho um desidratador doméstico e a umidade aqui no sul do Brasil costuma ser bem elevada, então rola um sentimento especial com esse aparelho. Após lavar as ervas e chás, deixo umas 2 horas espalhados sobre um pano até secarem a olho nu. Então espalho na bandeja do desidratador e o regulo a uma temperatura média de 45 graus celsius. O tempo depende de cada planta, por isso vou testando após algumas horas. A maioria das plantas esfarelarão com facilidade após uma boa desidratação (mas outras, tipo alecrim e tomilho isso não ocorre, então o cuidado precisa ser maior). Assim fica fácil de armazenar e até para presentear com aquelas ervas mais especiais.

Desidratar com forno

Para quem mora em locais de alta umidade e não possui desidratador, o forno quebra um galho. Faça um processo semelhante ao com desidratador, porém deixe na menor temperatura possível do forno e fique de olho.

Desidratar com microondas

O que? Como assim?! Nunca tentei e tenho receio. Mas muita gente por aí diz ser possível. Alguém já testou ou tem coragem de testar pra me contar?

Algumas sugestões de como conservar alguns temperos e chás, na minha opinião

Manjericão: congelar com água, congelar com óleo, desidratar (nem todos os tipos de manjericão se mantém tão saborosos depois de desidratarem)
Cebolinha: congelar sem água ou desidratar
Manjerona: congelar com óleo ou desidratar
Menta e hortelã: congelar com água ou desidratar.
Orégano: congelar com água, congelar com óleo, desidratar
Salsa: congelar sem água ou desidratar
Alecrim: desidratar ou congelar com óleo.
Sálvia: desidratar
Tomilho: congelar ou desidratar
Poejo: desidratar ou congelar com água
Melissa: desidratar ou congelar com água
Capim cidreira: desidratar ou congelar com ou sem água
Coentro: congelar com óleo

4 Comentários

  1. Heloisa Helena Averbach

    5 de janeiro de 2016 at 13:17

    Essa dica de congelar as ervas em óleo e a hortelã com água são geniais! Adorei e já vou experimentar :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*